Archive for the ‘Receitas’ Category

h1

Jantarzinho prático e seguro!

May 4, 2008

Depois que comecei a estudar gastronomia fiquei achando a cidade mais perigosa. Não sei se é desculpa para não sair de casa, reunir os amigos e testar algumas receitas, mas que tenho praticado – e comido – muito com esse medo, eu tenho sim: há males que vem para o bem! Todas as vezes esqueço de postar as experiências que faço, na verdade porque nunca anoto a quantidade de ingredientes. Mas vou colocar aqui um prato que fiz na véspera de feriado, com algumas arredondadas nas quantidades, mas o que importa mesmo são os ingredientes. É simples, fácil e fica ótimo!

Filé ao molho doce com arroz de castanha e aroma de alecrim – ainda sem nome!

Para o arroz

– Arroz parborizado cozido normalmente

– 1 xíc. de castanhas rapidamente trituradas a mão ou no liquidificador (cuidado para não virar pó!)

– um ramo de alecrim

– 2 c.s. de manteiga

– Azeite

Depois de cozinhar o arroz, esquente a manteiga com um fio de azeite em uma panela grande. Quando a manteiga estiver derretida adicione as folhinhas de alecrim e abaixe o fogo para a manteiga não queimar. Deixe o alecrim liberar bastante aroma e, com uma colher ou escumadeira, retire a maior parte do alecrim para ele não soltar um gosto amargo (se deixar uma folhinha ou outra não tem problema). Nessa manteiga aromatizada, coloque o arroz e as castanhas trituradas e mecha bem até o arroz ficar brilhante.

Para o Filé

– Medalhões de filé mignon temperados a gosto

– Óleo

– 1 xíc. de conhaque para flambar (opicional)

– 2 xíc. de vinho tinto

– 1 xic. de molho shoyo

– 1 xíc. de açúcar

– 1 colher de café de maisena

Tempere o filé com sal e pimenta, eu usei também um pouquinho de mostarda em pó para dar um saborzinho extra. Em uma frigideira grade, esquente um fio de óleo durante aproximadamente 40 seg. e coloque os medalhões para assar, no máximo três por vez para não soltar água e cozinhar. Reserve a medida que ficar do ponto desejado e coloque os outros. Depois de todos prontos, volte os medalhões à frigideira, coloque uma xícara de conhaque e flambe acendendo com um fósforo e deixando a chama por alguns segundos. O flambar é opcional, dá um sabor diferente à carne, que fica mais aromatizada.

Depois de flambar, retire os medalhões e coloque eles em uma assadeira no forno médio para manter a temperatura. Na mesma frigideira ainda aquecida e com o caldo do conhaque e da carne, adicione as xícaras de vinho, o molho shoyo, o açúcar e abaixe o fogo. Deixe cozinhar até engrossar um pouco, na maioria das vezes é preciso colocar um colherzinha de café de maisena para o molho não ficar líquido. Quando ele já estiver encorpado basta servir sobre os medalhões no prato e aproveitar.

O charmezinho

Para dar um colorido no prato, misture o alecrim que foi usado na manteiga do preparo do arroz com um azeite extra virgem e sirva ao redor do prato esse “azeite de alecrim” que dá um toque especial na combinação.

h1

Macarrão do Bom Ano

January 2, 2008

Passei esses últimos quatro dias na praia e fatos curiosos aconteceram no último dia do ano como ver satélites – ou OVNIs – sobrevoando o território ou achar tartaruginhas recém nascidas andando no sentido contrário do mar. Bem, o que acontece que é botaram a culpa no macarrão que fiz para o almoço – que tinha umas doses de cerveja- , e, em homenagem aqueles que estavam presentes, deixo a receita para lembrar desse dia que foi uma delícia, e fechou o nosso ano com chave de ouro.

E parabéns a todos pelo resgate das mais de 20 tartaruginhas, espero que elas tenham sobrevivido depois de tanta caminhada. Depois coloco uma foto!
Macarrão do Bom Ano

Cozinhar 500gr de linguini em bastante água com sal e resevar.

Para o molho

2 talos de alho-poró cortados bem pequenininhos – pode ser irregular mesmo

Meia cebola picada

1 dente de alho picado

1 c. s. de ervas finas

2 c.s. de cebolinha cortada bem fininha

1 saquinho do tempero de “7 vegetais Meu Segredo Maggi”

1 copo americano de boa cerveja – usei Stella Artois, pode ser vinho branco tamém

Uma garrafa de creme de leite fresco

Azeite

Sal e Pimenta a gosto

Modo de Fazer

Em uma panela grande – de preferência as que se usam para fazer paella – faça um fundo rápido com um bom fio de azeite e cebola. Quando começar a soltar água adicione o alho e logo depois o alho-poró cortadinho. Deixe refogar um pouco e quando estiverem bem claros adicione a cerveja. Misture um pouco, abaixe o fogo e tampe. Adicione o tempero de 7 vegetais e as ervas finas.

Deixe reduzir por alguns minutos até que o alho-poró esteja um pouco cozido (cerca de 10min. depois), caso secar demais pode adicionar mais cerveja. Coloque o creme de leite fresco e deixe reduzir na panela destampada por mais alguns minutos. Misture nessa panela o Linguini já cozido e a cebolinha cortada, corrija o sal e a pimenta, e coloque em uma forma para servir.

O molho fica bem suave e cai super bem com carnes vermelhas. Para dar um toque especial de crocância, faça um “farofa” de amêndoas – Basta derreter um pouco de manteiga numa frigideira, colocar uma boa quantidade de amêndoas e antes delas começarem a torrar misturar dois pães dormido raladinhos para formar de fato um farofa. Com um pouco de sal e pimenta você pode servir por cima do macarrão que fica ótimo.

h1

Salmão ao teriyaki Ocidental

December 10, 2007

praia.jpgHum… como é bom o fim de semana!

Esse sábado na praia preparei um salmão – peixe que eu adoro e apesar de ser considerado gorduroso nos faz muito bem! Ele é fácil de fazer e, mais uma vez, tive que usar da criatividade na cozinha… e como isso faz bem! Segue a receita, simples, mas que fica uma delícia!

Salmão

Um filé de salmão (tirar a pele)

Gengibre Ralado

Ajinomoto

Molho Shoyo

Bastante gergelim cru (pode ser branco ou preto, ou os dois)

Azeite ou óleo de gergelim

Modo de Preparo

Temperar o salmão com o gengibre e o ajinomoto e deixar descansar por 15 min. Regar ele com bastante molho shoyo e passar um dos lados no gergelim, de preferência o lado que se tirou a pele para ficar com aparência melhor.

Esquentar em uma frigideira grande e antiaderente uma boa parcela de azeite ou de óleo de gergelim até que fique bem quente e colocar o salmão, primeiro com o lado do gergelim para torrá-lo. Quando já estiver corado (cerca de 2min depois) virar e grelhar o outro lado.

Molho teriyaki ocidental

1 xic. de molho shoyo

1 xic. de açúcar

1 xic. de vinho branco

Um pouco de Gengibre ralado

Uma pitada de sal

Modo de preparo

Misturar todos os ingredientes e levar ao fogo alto até que eles começem a ferver. Abaixar o fogo e deixar reduzir pela metade, ou até que ele começe a ficar um pouco mais líquido do que em ponto de mel (quando esfria ele sempre endurece bastante) – cerca de 20-30 min.

Vinagrete de limão

Suco de dois limões pequenos

6 c.s. de azeite

1 c.s. de mostarda

Sal e pimenta a gosto

Um pouco de salsinha picada ou sementes de mostarda

Modo de preparo

Acrescentar o azeite em fio, pouco a pouco, ao suco de limão mexendo com um garfinho até formar uma emulsão. Prove um pouco, se o limão estiver muito azedo pode colocar mais azeite, sem deixar de perder a acidez. Misture a colher de mostarda, acerte o sal e a pimenta e adicione a salsinha ou os grãos de mostarda para criar uma aparência legal.

Sirva o salmão com o molho teriyaki ocidental e a vinagrete ao seu redor, fica bem acompanhado com um risoto de camarão! Além de ser um belo prato, a mistura do azedo da vinagrete com o doce do teriyaki fica ótima!

Mi raccomando!

h1

Esperança no fim da despensa!

December 7, 2007

Sabe aqueles dias que você chega em casa afim de preparar um jantar legal, comer umas coisinhas especiais e quando entra na despensa só encontra atum, leite de côco – vencido-, abacaxi em caldas, azeitonas e alcaparras … bem, é hora de fazer as compras!

Rolou isso comigo essa semana e, para piorar a situação, não tinha nem metade desses produtos remanescentes que resultariam em uma bela macarronada à putanesca. Então lá fui eu para a improvisação – e na verdade acabei achando mais produtos legais do que imaginava, entre eles uma caixa de macarrão conchiglioni – parado ali há alguns meses – e meio pacote de fundue congelado.product1161.jpg

Acabei fazendo um pratinho bem especial, que cai muito bem como uma entrada. Esse macarão, por sinal, pode ser recheado com uma variedade enorme de sabores e fica sempre bem apresentado.

Segue a receita:

Ingredientes

250g de Conchieglioni Rigati (Usei da DE CECCO)

3 tomates médios bem vermelhinhos

1 pé de alho-poró

1 tablete de caldo de verduras ou galinha

1 xíc. de chá de vinho branco ou tinto

1/3 xíc. de água

1/2 xíc. de folhas de manjericão

sal e pimenta a gosto

Modo de Fazer

Ferver bastante água com meio tablete do caldo de galinha e adicionar o macarrão, sal e um fio de azeite. Cozinhar por cerca de 20 min, escorrer e reservar.

Refogar o alho-poró, cortado em rodelinhas bem finas, no azeite e adicionar os tomates concassês (sem casca e sem semente) cortados em quatro. Temperar com sal e pimenta a gosto. Abaixar um pouco o fogo e adicionar o vinho. Diluir um pouco do restante do caldo na água e adicionar aos tomates. Aumentar um pouco o fogo para que o líquido evapore deixando mais o sabor. Quando os tomates estiverem mais molinhos você desliga o fogo e adiciona o manjericão. Corte os pedacinhos do tomate em quadradinhos menores para poder rechear a massa – não fizemos isso antes para não deixar que o recheio virasse uma papa de tomates amassados.

Depois de recheados com a deliciosa mistura de tomate e manjericão, eu derreti o reste de fundue, misturei com o pouco de iogurte natural – para suavizar mais o sabor- e salpiquei um pouco desse molho na massa. Um molho branco ou de queijo mais suave também fica bom, mas na falta, use a criatividade.

Rale um pouco de queijo parmesão e sirva como quiser, para prato principal essa quantidade serve duas porções, como entrada dá para umas 4 pessoas beliscar!

h1

Chá ainda mais Chique

December 5, 2007

cha-e-champange.jpgPara quem achava o chazinho uma bebidinha sem graça, já pode dar um upgrade no mistura! Saiu na Folha, criação do charista Alex Grave, uma nova forma de preparar o velho e tradicional chá preto: com espumante! Isso mesmo, o que antes era sem graça pode agora trazer bastante diversão aos momentos!

Aí vai a dica da receita.

– 50 ml de chá preto gelado

– 1 laranjinha kinkan em calda,

– 1 colher (sopa) de calda da compota da kinkan

– espumante para completar a taça.

O kinkan é uma uma fruta parecida com a laranja bem comum no Japão, ela pode ser comida até mesmo com a casca, mas como não encontramos facilmente pode ser substituída por pêssego em calda, ou, ainda melhor, abacaxi.

Aproveitem a sugestão, mas cuidado. O efeito pode não ser o mesmo esperado com o chá preto!